domingo, 21 de junho de 2009


"Só se vive, realmente, através dessa partícula de sonho, que se sobrepõe ao real. Ela é o Lírio do seu brasão, o adorno do seu caráter."

O Homem Medíocre de José Ingenieros: nasceu 24 de abril de 1877 em Palermo, Sicília.

Acerca da "mediocracia" escreveu:
"Os desonestos formam uma legião que assaltam o Parlamento para entregar-se a especulações lucrativas.
Vendem seu voto a empresas que espoliam o Tesouro Nacional;
prestigiam projetos de grandes negócios com o erário;
pagam com dinheiro público a seus eleitores;
comerciam sua influencia para obter concessões a favor de sua clientela política".

E logo diz: "É ilusório acreditar que o mérito abre as portas dos Parlamentos envelhecidos. Os partidos, ou o governo em seu nome, operam uma seleção entre seus membros, as expensas do mérito ou a favor da intriga. Um soberano quantitativo e sem ideais prefere candidatos que tenham sua mesma compleição moral: por simpatia e conveniência". O homem medíocre também chama a atenção pelas constantes alusões ao racial.





"Astrônomos nos Estados Unidos disseram nesta semana que centenas de buracos negros podem estar vagando pela galáxia, prontos para devorar planetas e estrelas pelo caminho."tecnocientista
Postar um comentário