quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010


“...Poderia a realização alguma vez ser sentida tão profundamente como a perda? Com um olhar romântico, ela [Sai] chegou a conclusão de que o amor devia, decerto, residir no hiato entre o desejo e a realização, na carência e não na satisfação. O amor era a dor, a expectativa, o afastamento, tudo o que o rodeava, menos a própria emoção...”
Pág.11
A Herança do Vazio
Kiran Desai


Postar um comentário