domingo, 23 de janeiro de 2011


“Eis a eternidade da música

– combinações de simples notas,

todo mundo pode confraternizar,

pois é o próprio ser que grita nelas seu jubiloso “estou aqui”.


Não existe comunhão mais ruidosa e mais unânime

do que a simples comunhão com o ser.


Nela, os árabes se encontram com os judeus e os tchecos com os russos.

Os corpos se agitam no ritmo das notas,

embriagados com a consciência de existir.”

Milan Kundera

Um comentário:

Ainulindalë Anekuroro Iranhoma disse...

A primeira postagem do ano é em homenagem à minha querida amiga felina,
Lúcia Padilla Gatto.

Incitadora das coisas boas da vida com sua interpretação das belas palavras e imagens todos os dias.

Muito obrigada por existir!