terça-feira, 27 de dezembro de 2011


Escrevia silêncios, noites, anotava o inexprimível.
Fixava vertigens.
A alquimia do verbo - Arthur Rimbaud
Postar um comentário